A Serra

Dicas de Viagem para as colinas e montanhas de origem vulcânica - Serra de Monchique, Serra de Caldeirão e Serra de Espinhaço de Cão- que formam a bordeira norte do Algarve com o Alentejo, uma região ideal de recreação e caminhadas: paisagem, localidades, influência climática, desporto e lazer

Paisagem

Serra

A geologia, que é de origem vulcânica, é composta por duas formações distintas: xisto até aos 300-400 m e um maciço sienítico que se eleva até os 902 m, do qual se extrai um granito que pelas suas características especificas se chama Foiaíte. Desta Serra brota ainda, nas Caldas de Monchique, uma água que, pelas suas qualidades terapêuticas, é, desde do tempo dos romanos, muito apreciada.

A serra é dividida em três cumeadas diferentes:

  • Serra de Espinhaço de Cão com uma altura a menos de 300 m é situada em ocidente extremo perto da Costa Vicentina
  • Serra de Monchique situada em Barlavento Algarvio, cujo ponto mais elevado - Fóia, com 902 m de altitude - é o mais alto do Algarve e um dois pontos mais proeminentes de Portugal
  • Serra do Caldeirão (Serra do Mú) com uma altura até 590 m marca a fronteira entre o Litoral e o Barrocal algarvios e as peneplanícies do Baixo Alentejo


Localidades

Cidades e Vilas mais importantes da Serra

A localidade mais conhecida nesta parte montanhosa do Algarve é Monchique, mesmo no coração da serra homónima, situada exatamente entre as duas elevações mais altas, a Fóia e a Picota. Os efeitos terapêuticos das fontes quentes das Caldas de Monchique são reconhecidos desde o tempo do Império Romano.

A freguesia de São Marcos da Serra e a vila de São Bartolomeu de Messines (conhecido simplesmente por Messines), ambos no concelho de Silves, estão situadas na falda da Serra de Monchique. A leste ficam Alte, Salir e Querença como localidades conhecidas desta região, onde se delimitam as terras férteis do Barrocal da Serra do Caldeirão, a norte de Loulé, com a sua densa rede hidrográfica, constituída por muitas fontes.


Influência climática

Influência climática da Serra

A Serra do Caldeirão tem influência climática considerável. Constitui uma barreira física à passagem dos ventos frios do quadrante Norte e às depressões de Noroeste, contribuindo para a existência de um clima mediterrânico no litoral algarvio, com fracas precipitações anuais e temperaturas suaves no Inverno. Por outro lado, é também uma barreira de condensação para os ventos húmidos do quadrante Sul.

As precipitações médias anuais variam: nas zonas mais altas do concelho de Loulé são superiores aos 800 mm anuais, mas, à medida que nos aproximamos da fronteira com a Espanha, a oriente (vale do Guadiana), vão descendo, até serem inferiores a 500 mm anuais nas regiões do Nordeste algarvio.

Associado a uma posição geográfica muito próxima do Atlântico e um sol de reflexos norte africanos, o clima da Serra de Monchique traduz-se num clima Subtropical Marítimo de Montanha.


Desporto & Lazer

Desporto e Lazer na Serra

A Serra é uma região ideal de recreação e caminhadas, possuindo inúmeros trilhos. Existem ofertas para grupos: Caminhadas com duração de um ou mais dias e com guia local. As zonas de montanha recomendam-se para uma vasta gama de desportos ao ar livre, como ciclismo BTT, Downhill, canoagem e escalada.

Desta Serra de Monchique brota, nas Caldas de Monchique, uma água que, pelas suas qualidades terapêuticas, é, desde do tempo dos romanos, muito apreciada.


Dicas de viagem

Férias na Serra

A Serra é o sítio ideal para quem quer descobrir uma paisagem diferente e um ambiente original preservado, longe da movimentada zona costeira com o seu ritmo acelerado. A Serra revela o seu encanto em qualquer época do ano. Infelizmente, durante os meses quentes do verão, esta zona sofre imensamente com incêndios florestais, vezes de mais causados por negligência humana, afetando a região para muitos anos com consequências graves.


As nossas Recomendações
Publicidade